O que é Bioplastia?

O que é Bioplastia?

Bioplastia é uma técnica infiltrativa para planos profundos aplicada abaixo da musculatura ou junto ao osso indicada para criar ou repor quantidade. Realizada com microcânula, uma agulha fina, flexível e sem ponta, o procedimento é considerado minimamente invasivo, pois é realizado ambulatorialmente e permite voltar à rotina no mesmo dia.

A bioplastia surgiu nos anos 90 como uma alternativa à cirurgia plástica pelas mãos do médico alemão Gottfried Lemperle. O diferencial da bioplastia está no desenvolvimento de uma técnica especialmente desenvolvida para realizar procedimentos estéticos e reparadores de forma mais prática, em menos tempo e com menor agressão ao corpo do paciente. Com a utilização da microcânula, sem cortes, suturas ou cicatrizes, a bioplastia permite o uso de substâncias biologicamente compatíveis que possibilitam tratamentos semelhantes aos de uma cirurgia plástica.

PMMA POLIMETILMETACRILATO
O polimetilmetacrilato é o principal preenchedor utilizado na bioplastia. Conhecido pela sigla PMMA, esta é uma substância sintética e definitiva. Aprovado pelo órgão norte-americano de regulamentação da saúde desde 2006, o produto foi aprovado também pela Anvisa em 2007 e é utilizado em grande escala no Peru e na Colômbia. Esta forma de preenchimento permite aumentar glúteos e lábios, definir o contorno das maçãs do rosto, nariz, queixo e linha da mandíbula, além de uma série de outros procedimentos corporais, incluindo correção de cicatrizes.

Para realização da bioplastia é obrigatória a avaliação médica presencial em consultório, onde serão ouvidas as queixas do paciente e decidido qual a melhor forma de tratamento, que pode ou não ser bioplastia. É durante a consulta também que o médico avaliará as condições físicas e o histórico do paciente para saber se o procedimento pode ser realizado, qual a substância preenchedora a ser utilizada, a quantidade de produto a ser injetado e a possibilidade de combinar outros tratamentos para atingir o objetivo do paciente. A primeira conversa com o médico permite esclarecer todas as dúvidas sobre a técnica de bioplastia, incluindo os riscos e como se preparar para o procedimento.

A bioplastia com PMMA só pode ser realizada por médicos em ambiente devidamente higienizado e com alvará da vigilância sanitária, além disso, nossa clínica possui ISO 9001:2008 para aplicação de preenchimento corporal e facial. Feita a higienização da pele é aplicada uma anestesia local e realizado um pequeno furo com agulha comum para que a microcânula possa ser inserida. Dependendo do tratamento a ser realizado, opção do paciente e indicação do médico podem ser utilizados quatro tipos de substâncias preenchedoras: ácido hialurônico, hidroxiapatita de cálcio, ácido polilático e polimetilmetacrilato (PMMA). A Clínica Leger trabalha apenas com marcas liberadas pela ANVISA.

ÁCIDO HIALURÔNICO
O ácido hialurônico está presente entre as células do nosso organismo ajudando a formar todos os órgãos do corpo, principalmente a pele, onde contribui para produção de colágeno. A diminuição dos níveis de ácido hialurônico no organismo contribui para o surgimento de rugas e flacidez da pele. As propriedades naturais deste composto facilitam sua aceitação pelo corpo, sendo absorvido dentro de um ano.

HIDROXIAPATITA DE CÁLCIO
A hidroxiapatita de cálcio é o principal componente dos ossos e tem o tempo de absorção ampliado para 18 meses. Ela é utilizada preferencialmente para o lifting dos terços médio e inferior do rosto, ajudando na sustentação.

Ácido Polilatico
O ácido polilático é um produto sintético que quando diluído em água age como estimulador do colágeno e produz o aumento gradual da quantidade do tecido. São necessárias de seis a oito semana para que as modificações concretizem-se, sendo dois anos o tempo médio de absorção.

A bioplastia é realizada com PMMA. Uma substância sintética composta de microesferas de polimetilmetacrilato embarcadas em coloide de carboxi-metilcelulose. O PMMA não migra e é biocompatível, apresentado risco reduzido de alergia ou rejeição.

Realizada a aplicação o paciente recebe algumas recomendações e deve retornar para consulta de revisão em sete dias.

Outra característica chave da técnica de bioplastia é a utilização de produtos biocompatíveis, substâncias de potencial estético e reparador biologicamente compatíveis com o corpo humano. Entre as substâncias utilizadas, duas são componentes naturais do nosso corpo que sofreram redução com o tempo e são aplicadas pontualmente para criar ou repor harmonia. O PMMA, um composto sintético, é utilizado na área da saúde desde os anos 30 e desde os anos 90 aplicado em procedimentos estéticos e de reparação.

A fórmula do polimetilmetacrilato evoluiu até encontrar estabilidade ao utilizar um coloide como veículo para transportar o PMMA em formato de esferas sólidas e de superfície lisa com diâmetros entre 40 e 50 micras (1 mm = 1000 micras), dimensão que evita a absorção por macrófagos e preserva as características inertes e definitivas da substância. Disponível em três concentrações, 2%, 10% e 30%, sendo o restante formado pelo gel de carboxi-metilcelulose que permite a fácil aplicação com microcânula e evita que as esferas aglomerem-se, o PMMA é envolvido por tecido conjuntivo rico em colágeno à medida que o coloide é absorvido pelo organismo.

Toxina botulínica:

O tratamento com bioplastia pode ser ainda uma alternativa à toxina botulínica no tratamento das rugas. Mesmo com a evolução da técnica, o princípio da toxina botulínica continua o mesmo. Ela impede que a ordem de contração do músculo enviada pelo cérebro chegue ao seu destino, o que pode causar uma aparência congelada e artificial. Por sua vez, a bioplastia age de forma muito mais simples, preenchendo localmente as marcas deixadas pelas rugas e utilizando uma substância biocompatível, o que possibilita um aspecto mais natural e com riscos reduzidos.

 

×

WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?